Por que atitude é mais importante do que o Q.I.?

Esse texto que vocês lerão a seguir é uma tradução livre que fiz de um post, feito no LinkedIn, feito pelo LinkedIn Influencer Dr. Travis Bradberry. Normalmente eu crio meus próprios textos, mas quando li o que o Dr. Bradberry escreveu, me encantei com o texto e decidi fazer uma tradução para tentar alcançar o maior número de pessoas e poder mostrar, de forma muito clara, uma das formas mais efetivas de se manter em evidência e atingir as suas metads profissionais. Vale a pena a leitura (a versão original, em inglês, está aqui: https://www.linkedin.com/pulse/why-attitude-more-important-than-iq-dr-travis-bradberry)

 Por que atitude é mais importante do que o Q.I.?

LinkedIn Influencer Dr. Travis Bradberry publicou esse post originalmente no LinkedIn.

Quando falamos do sucesso, é muito fácil pensar que pessoas abençoadas com inteligência mais aguçada vão, inevitavelmente, deixar a todos os demais para trás. Porém, uma nova pesquisa da Universidade de Stanford mudará sua forma de pensar (e sua atitude)

A psicóloga Carol Dweck dedicou sua carreira para estudar atitude e performance, e suas últimas pesquisas mostram que sua atitude é um melhor indicador de seu sucesso do que seu Q.I.

Dweck descobriu que o as atitudes fundamentais das pessoas se encaixam em duas categorias: a do modelo mental fixo (mantenedor) e a do modelo mental de crescimento. 

Com o modelo mental fixo você acredita que você é o que é e não pode mudar. Isso acaba criando problemas quando você é desafiado, pois qualquer coisa que pareça ser maior do que o que você pode lidar tende a fazer com que você se sinta sem esperanças e sobrecarregado.

 Pessoas com o modelo mental de crescimento acreditam que podem melhorar com esforço. Eles superam a performance daqueles com o modelo mental fixo, mesmo tendo um Q.I. mais baixo, por que abraçam os desafios tratando-os como oportunidades de aprender algo novo.

 O senso comum sugere que a existência de habilidades, como ser inteligente, inspira confiança; e isso é verdadeiro, mas apenas para as situações menos complexas. O fator de decisão na vida é como você gerencia as falhas e os desafios. Pessoas com o modelo mental de crescimento aceitam as falhas com os braços abertos.

Ainda de acordo com Dweck, sucesso na vida é saber gerenciar e trabalhar com as falhas. Ela descreve como as pessoas com esse tipo de comportamento encaram as falhas:

“Falha é informação – nós as rotulamos como falhas, mas é muito mais como “Isto não funcionou, eu sou capaz de resolver problemas, então, vou tentar alguma coisa diferente.”

 Independente de qual lado do quadro você esteja, você pode fazer mudanças e mudar o seu modelo mental. A seguir, algumas estratégias que vão fazer um ajuste fino em seu modelo mental e ajuda-los a garantir que seja o mais orientado ao crescimento possível:

 

Não se entregue 

Todos nós, em algum momento, nos sentimos desamparados. O grande teste é como nós reagimos a esse sentimento. Nós podemos aprender com isso e seguir adiante ou deixar isso nos derrubar e desanimar. 

Há inúmeros casos de pessoas de sucesso que jamais teriam chegado lá se tivessem sucumbido à sensação de desamparo: Walt Disney foi demitido do Kansas City Star por “não ter imaginação e não trazer boas ideias”. Oprah Winfrey foi demitida de uma TV em Baltimore pois, como âncora, ela “se envolvia demais emocionalmente com as histórias”. Henry Ford falhou nas duas tentativas iniciais de gerir uma empresa de fabricação de carros antes de ter sucesso com a Ford. E Steven Spielberg foi rejeitado diversas vezes pela Escola de Artes Cinematográficas USC (University of Southern California).

Imagine o que ocorreria se essas pessoas tivessem um modelo mental fixo. Eles sucumbiriam à rejeição e teriam abandonado a esperança.

 Pessoas com um modelo mental de crescimento não se sentem desamparados porque eles sabem que, para ter sucesso, você precisa estar disposto a falhar terrivelmente e, então, retomar o seu caminho correto.

 

Tenha Paixão

Pessoas determinadas perseguem suas paixões sem descanso! Sempre haverá alguém que é naturalmente mais talentoso do que você; porém, essa diferença em talento você elimina com paixão pelo que faz.

A paixão das pessoas determinadas é o que as move de forma incansável a buscar a excelência. Para Warren Buffet encontrar quais são as suas verdadeiras paixões no que ele chama de técnica 5/25: faça uma lista com as 25 coisas que você mais gosta de fazer. Então, risque as 20 que menos te tocam, e as 5 que restarem são suas verdadeiras paixões. Todo o restante é mera distração.

 

Faça!

Não é que as pessoas com o modelo mental de crescimento superam seus medos por que são mais corajosos que o resto de nós! Eles apenas entendem que medo e ansiedade são emoções paralisantes e que a melhor forma de superar essa paralisia é agindo!

 Quem tem o modelo mental de crescimento é determinado, e pessoas determinadas sabem que não existe, de verdade, o “melhor momento para ir adiante”. Então, para que esperar por ele? Agir transforma toda sua preocupação e receios de falhar em uma energia muito mais focada e positiva.

 

Então, dê mais um passo (ou dois)

Pessoas determinadas dão sempre o melhor de si, mesmo nos piores dias. Estão sempre se cobrando para ir um pouco além. 

Um dos alunos de Bruce Lee corria 5 Km todos os dias com ele. Um dia, eles estavam quase chegando à marca de 5 Km quando Bruce disse: “vamos correr mais 3 km”. Seu aluno, cansado, disse: “Eu vou morrer se tiver que correr mais 3 Km”. A resposta de Bruce? “Então faça isso”.

 Seu aluno ficou tão irritado que completou os 8 Km. Exausto e furioso, ele questionou Bruce a respeito de sua resposta, ao que obteve a seguinte explicação: “Desista, e você estará morto da mesma maneira. Se você sempre colocar limites no que você pode fazer, fisicamente ou de qualquer outra forma, isso vai se espalhar para a sua vida. Isso vai se espalhar em seu trabalho, em sua moral, em toda a sua existência. Não há limites. Há platôs, mas você não deve ficar parado neles, você deve superá-los, ir além. Se isso te matar, te matou! Um homem deve constantemente exceder esse nível.”

 Se você não está se tornando um pouquinho melhor a cada dia, então, provavelmente, você está se tornando um pouquinho pior. E que tipo de vida é essa?

 

Foque em Resultados

Pessoas com um modelo mental de crescimento sabem que irão falhar de tempos em tempos, mas não permitem que isso tire o foco no resultado esperado. Focar nos resultados te mantém focado e alimenta o círculo vicioso do apoderamento. Afinal, se você não pensa que irá ser bem sucedido, para que se importar?

 

 Seja Flexível

Qualquer ser humano se defronta com adversidades. Pessoas determinadas e com modelo mental de crescimento abraça as adversidades como forma de melhoria, ao contrário de vê-las como algo que as impeça de progredir. Quando uma situação adversa se apresenta a uma pessoa determinada, ela usa sua flexibilidade para encontrar alternativas até atingir os resultados.

 

Não reclame se algo não sair como planejou. 

Reclamação é o sinal mais óbvio de um modelo mental fixo. Um modelo mental de crescimento vê oportunidades em tudo; por isso, não há espaço para reclamação. 

 

Usando tudo isso a seu favor

Mantendo um registro de como você reage às pequenas coisas, você pode trabalhar a cada dia para se manter no lado certo do quadro do modelo mental.

 

SOBRE O AUTOR

Dr. Travis Bradberry É o coautor do livro Inteligência Emocional 2.0 e cofundador da TalentSmart, líder global em testes de inteligência emocional e treinamentos, servindo mais de 75% das empresas listadas na Fortune 500. Seus best-sellers já foram traduzidos em 25 idiomas e estão disponíveis em mais de 150 países. Dr. Bradberry escreveu ou participou de artigos na Newsweek, TIME, BusinessWeek, Fortune, Forbes, Fast Company, Inc., USA Today, The Wall Street Journal, The Washington Post, and The Harvard Business Review.